domingo, outubro 17, 2004

Com que então TU QUERES FAZER Stand-Up Comedy? - "Stand-Up Comedy for Dummies" ou Como ser Stand-Up Comedian/Comedienne em 5 passos fáceis.

Pois, pois és muito engraçadinho/a... Mas uma coisa é fazeres os teus familiares (ligeiramente tocados pela fada das vinhas) rirem-se num casamento ou na festa de anos da tua avó... Outra coisa é subires a um palco e fazeres stand-up comedy perante uma audiência.... Para fazeres qualquer tipo de performance ao vivo, tens que ter nervos de aço, um grande ego ou estares mesmo muito bêbedo/a... Em alternativa, as três hipóteses juntas!!!
Para se fazer stand-up comedy é necessário obter-se (por um profissional da especialidade) um atestado de que se é virtualmente insano! Quase toda a gente bombs na primeira vez ("bombing" significa que não se fez uma audiência rir. . . No mundo da stand-up comedy isso não é lá muito positivo, como devem imaginar).

Há um preconceito que um ou uma stand-up comedian ou stand-up comedienne (que é assim que se faz o feminino de stand-up comedian) é uma pessoa que não faz nada durante o dia e depois, à noite vai para os comedy clubs dizer umas graçolas para os amigos e para grupinhos de jovens semi-bêbados... É MUITO mais complexo que isso, meus amigos. Os stand-up comics passam horas a aperfeiçoar as suas routines (os textos representados e ditos de forma coloquial e natural) e têm que ser capazes de ler a mente das suas audiências e saber exactamente o tipo de humor que vai obter uma resposta positiva por parte do público, ou seja, que tipo de humor irá fazer rir determinado público.
Antes de uma pessoa subir a um palco deverá primeiro ter alguma orientação...
Mesmo antes de pensar em fazer uma graçola, deve-se conhecer o vocabulário próprio da stand-up comedy. Aqui está um mini-glossário simples:

Celindrar - Ter uma brilhante actuação. A audiência adorou!

"Bomb" - Ter uma prestação mediocre. A audiência nem sequer sorri. Nestes casos recomenda-se que o/a stand-up comedian/comedienne leve um guarda-chuva para ser futuramente usado como escudo quando a plateia começar com os disparos inusitados de vegetais voadores, como tomates cebolas e afins... (Numa tentativa primária de demonstrar o seu desagrado pela fraca qualidade do set).

Morrer - O processo do "bombing".

Set - A colectânea de piadas que se vai encadear numa história.

Setup - A parte em que se conta uma pequena história, expõe-se uma situação/reflexão ou se expõe uma teoria e na qual não se é suposto rir.
Punch Line - A parte engraçada da história/situação/reflexão/teoria e que é suposta causar o riso, atingindo assim o objectivo supremo da stand-up comedy... FAZER RIR!

Heckler - O personagem da audiência (arruaceiro e sem-maneiras) que interrompe e insulta o/a comediante na tentativa de fazer com que ele "bomb" a sua actuação...

Blue - Quando um/a stand-up comedian/comedienne está blue (azul) significa que está a usar linguagem porca ou a falar de sexo de forma explícita ou outras situações que só dizem (ou pelo menos só deveriam) dizer respeito a adultos. Em Portugal diz-se que "tem bolinha", ou como diz a minha mãe " tem donut no canto superior direito". E.g. FERNANDO ROCHA quando conta as suas anedotas a partir da meia-noite.
Para mais termos relacionados com este tópico consultem o Greg Dean's College of Comedy Knowledge's Glossary of Comedy Terms. Googlem-no!

Agora que sabem os termos técnicos, sigam os meus conselhos e enquanto o diabo esfrega um olho estarão no bom caminho para celindrarem audiências com a vossa stand-up routine. Ou isso, ou vão ser bombardeados com tomates podres... Espero que seja a anterior.
Prontos para fazer os T.P.C.? Tudo que é preciso fazer é ver uma data de cómicos a actuar... Mas nada de ver apenas os vossos favoritos! Quer estejam em palco, na TV, K7 ou DVD, vejam todos os cómicos que consigam. Estudem as suas técnicas e tentem apreender e aprender como eles constroem as suas piadas.

Esperem lá, mas isso não é plágio? A minha resposta: Quem quer que seja que tenha dito que a imitação (o plágio) é a forma mais sincera de admiração, óbviamente que não estava no ramo da stand-up comedy!
É verdade, o maior pecado que existe na stand-up comedy é roubar as piadas a outro cómico. Todavia, apenas e única e exclusivamente com fins pedagógicos, é aceitável pegar nas piadas dum cómico que realmente se admire e tentar reeescreve-las duma forma diferente. Claro que, nunca se deve actuar com as variantes da piada que surjam entretanto, porque isso também é considerado roubo. E roubar é feio.
PASSO 1: ESTUDAR OS MESTRES
Enquanto se estuda os profissionais 'da coisa', deve-se tentar determinar que tipo de comico é cada um deles. Eu tirei as seguintes conclusões (que podem estar erradas):
Cómicos Observadores:
Exemplos: Jerry Seinfeld, Janeane Garofalo, Bill Hicks, Steve Martin, Nilton, Bruno Nogueira, Aldo Lima, Carlos Moura, Ricardo de Araújo Pereira, José Diogo Quintela, José Moreira, Hugo Sousa, Paulo Baldaia, João Seabra, Henrique da Silva, Paula Perdigão, Sandro Mouro, João Quadros, Bob Marley
Cómicos Músicais:
Exemplos: Francisco Menezes, Aldo Lima, José Moreira, Henrique da Silva (?)

Cómicos que gostam de tópicos:
Exemplos: Dennis Miller, Jay Leno, Herman José, Conan O'Brian, Políticos Diversos (e.g. George W. Bush, Durão Barroso, Paulo Portas, Santana Lopes etc.)

Cómicos de Personagens:
Exemplos: Andrew Dice Clay, Tim Allen, Monty Python, Óscar Branco, Maria Rueff, Joaquim Monchique, Ana Bola, Herman José, Maria Vieira, Marco Horácio, Miguel 7 Estacas, Ricardo de Araújo Pereira, José Diogo Quintela, Miguel Góis, Tiago Dores, Eduardo Madeira, "Quim Roscas & Estacionâncio"...

Cómicos de Adereços:
Exemplos: Carrot Top, Gallagher, Jorge Mourato, Marco Horácio

Cómicos de Faz-de-Conta:
Exemplos: Margaret Cho, Lea Delaria, Serafim

Mímicos:
Exemplo: Charles Chaplin, Jim Carrey (antes de se tornar um grande actor), Paulo Matos, Aldo Lima, Francisco Menezes, Marco Horácio

Impressionistas:
Exemplos: Dana Carvey, Mike Myers (Wayne's World, anyone?)

Improvisadores:
Exemplos: Robin Williams, Paula Poundstone, Bill Hicks

Determina em seguida a tua atitude emocional. Richard Lewis é um homem em sofrimento constante. Denis Leary é hóstil... Bill Hicks era amargo, ácido e corrosivo! Bruno Nogueira está parcialmente morto... Qual vai ser a tua atitude emocional? És maníaco-depressivo, cínico, mosca-morta, naïve, ou uma bizarra combinação de todos estes traços? Não escolhas a atitude que te parecer mais engraçada; escolhe aquela que se aplica melhor a ti. É-se mais engraçado quando se é honesto. Após teres travado conhecimento com diversos veteranos da Arte da Stand-Up Comedy, terás uma maior noção de como começar a encontrar o teu 'lugarzinho ao sol' dentro do mercado de trabalho. Com o tempo, acabarás por gravitar em torno da comica personna que melhor representará o teu eu-cómico.
PASSO 2: REÚNIR MATERIAL
Antes de subires a um palco deves saber o que vais dizer (ou não). A audiência pode achar divertido ver-te a derreteres-te numa poça de suor enquanto tentas dizer uma piada, mas eu dúvido que seja esse o tipo de cómico que queres ser. Mesmo um grande cómico do improviso como o Robin Williams escreve o seu material. Ele planeia uma actuação e improvisa em redor do que planeou.
Se te interrogas onde hás-de ir buscar o teu material a resposta está no género de comédia em que te queres especializar. Um ponto de partida universal é a introspecção. Muito do humor feito hoje em dia é pessoal, derivado de experiências pessoais e excentricidades e manias pessoais.
Quer te centres na política ou em familias disfuncionais, o teu reportório vai centrar-se nos teus pontos de vista pessoais acerca desses mesmos assuntos. O significa que vais ter que ir buscar respostas pouco ortodoxas ao âmago da tua alma. Cómico, conhece-te a ti mesmo.
Aqui estão três exercícios que podem ajudar-te a começar:

Divide uma folha de papel em três colunas:
Na primeira, escreve tudo o que te preocupa.
Na segunda, coisas que te irritam.
Na terceira, coisas que te assustam.
Faz uma lista de todos os traços da tua personalidade menos agradáveis. Gozar com a nossa pessoa é terreno estável uma vez que, se estivermos suficientemente à-vontade para nos rirmos de nós próprios os outros também adoptarão essa atitude. Se és feio/a, fala disso! Pensa em ti próprio/a como um meio viável para fazer pouco dos feiosos/as, uma vez que te estás a rir de ti próprio/a.

Faz uma lista de coisas que te tornam único/a, tanto aspectos físicos como psicológicos. Tens umas mãos descomunais? Uma tolerância pouco usual para tolerar álcool? Medo de comer em frente aos outros?
...Ou talvez sejas um pseudo-misantropo com muito pouca vontade para se relacionar com outros seres humanos que adora jazz e cinema... Nesse caso, parabéns! És o Woody Allen!

Estas listas providenciarão matéria-prima para escreveres as tuas primeiras graçolas. Enquanto estiveres a escrever as listas, lembra-te sempre de trazer contigo um pequeno bloco de notas onde quer que vás. Nunca se sabe quando vais ver algo engraçado, e eu garanto-te que disseres para ti próprio "Oh, eu não me vou esquecer," se levares o bloco contigo e tomares nota, não vais mesmo. Escreve TUDO. Até as palermices... (Ás vezes más ideias podem levar a boas ideias).

"E é só?" - perguntas tu. Pretty much. Grande parte do processo da criação de boas piadas é trabalho àrduo e criatividade.
A stand-up comedy é 1% de inspiração e 99% de transpiração. Usem "rexona" quando estiverem a trabalhar, fazem o favor...
Os cómicos trabalham àrduamente o dia todo (mesmo aqueles que possuem talento natural para a coisa), portanto, mãos à obra!
PASSO 3: ESCREVER UMA ROUTINE
De que serve ter material divertido a flutuar em post-its e guardanapos encharcados em cerveja? Para transformar esse material numa verdadeira routine é preciso:
Escreve algumas piadas e ordena-as.
Decide como vai ser a tua comica persona.
Ensaia a tua performance e controla bem o timing.
Escreve algumas piadas.

A maior parte das piadas baseiam-se numa fórmula à base de um setup que culmina numa punch line. O setup explica sobre o que é a piada e a punch line é o que provoca o riso (ou pelo menos é o que é suposto provocá-lo):

Por exemplo:


Setup - "A tua mãe é tão gorda..."

Punch line - "...que as cuecas dela não têm número, têm código postal."

Então, tendo os T.P.C.s que fizeste anteriormente como referência, escreve as tuas piadas usando os seguintes formatos:


Listas:
O número mágico em comédia é 3. Os dois primeiros são semelhantes, mas o terceito é o oposto. ("Alguns nascem com grandiosidade, outros tornam-se grandiosos e alguns contratam os chamados «Relações Públicas»." -Daniel J. Boorstin)


Comparações:
Assinalando diferenças. (A ideia das mulheres duma noite bem passada é um jantar romântico à luz das velas e um passeio ao luar, junto à praia... A dos homens é assistirem em casa a um jogo de futebol em que a equipa deles ganhe, um jantar bem confeccionado como deve ser (uma boa feijoada ou chanfana) e uma gaja para dar uma antes de enfiarem os corninhos na palha!)

Símile:
Descrever algo assemelhando a algo completamente díspare. ( "...parecia o cadáver da Meryl Streep se o obrigassem a distribuir sorrisos numa festa. - Tyler Durden in Chuck Palahnuik's Fight Club).

Observações:
Chamando atenção para a absurdês da vida quotidiana. ("Não se pode ter tudo. Quero dizer, onde é que iam por tanta coisa?" -Steven Wright)

Mímica:
Fazer pouco de alguém copiando-lhe os tiques. (A tua mãe, a tua cara-metade choramingas, o advogado . . . Certifica-te porém, que nenhuma dessas 'personagens' te está a ver.)

Callback:
Uma piada com uma punch line que se refere a uma piada feita num momento anterior no teu set. ("Eu até ia mandar uma carta à tua mãe... Mas esqueci-me qual é o código postal impresso nas cuecas dela.")

Não usarás certamente, todos os formatos na tua routine, e há muitos mais... Estes são um bons alicerces para trabalhares e estruturares o teu set.

Para uma leitura mais aprofundada neste assunto recomendo: Stand-Up Comedy: The Book. Outros bons livros são: How to Be a Working Comic e Zen and the Art of Stand-Up Comedy.

Após escreveres as tuas piadas, tenta encurtar ao máximo os setups. O tempo de atenção do cliente standard dum comedy club é bastante curtinho. Lá também se bebe (e bem) e como tal ninguém vai estar com pachorra para ouvir um setup muito longo sem perder o interesse. Os clientes dos comedy clubs querem entertenimento fácil, porque pensar é complicado mas rir é fácil. Não lhes dês muito que pensar...

Depois de limares as arestas a umas piadas que preencham 10 minutos de tempo em palco, estarás pronto para as transformares numa routine de stand-up comedy. Ah! E ensaia sempre mais 5 minutinhos de material extra não vá o material originalmente planeado não surtir o efeito desejado...

Ordena as piadas.

Observa a tua lista e escolhe e selecciona a melhor e a mais engraçada. Guarda essa para o fim.
Depois pega na tua segunda melhor piada e coloca-a no ínicio. Desta forma abres a tua actuação em grande e fechas a actuação com a maior gargalhada e o maior número de aplausos o que é sempre bom. A terceira piada mais engraçada deve vir antes da última. A seguinte piada mais engraçada logo a seguir à primeira e por aí fora até preencher o total dos 10 minutos. Esta estrutura em ziguezague permite criar uma actuação equilibrada e que em termos práticos resulta melhor uma vez que as partes em que as pessoas vão centralizar a sua atenção é o começo e o final de uma actuação. O número de piadas vai depender da forma como vão ser contadas e da duração das mesmas.

Decide como vais apresentar-te em palco.

Estuda os que já andam na stand-up comedy há mais tempo do que tu. Qualquer um consegue contar uma anedota, mas os verdadeiros stand-up comics são pessoas divertidas para ínicio de conversa. Descobre com que cómicos te identificas. Não quer dizer que tenhas que agir como eles, mas se o teu género de piadas é semelhante às deles, as probabilidades que tenhas uma atitude em palco semelhante são bastante grandes. A diferença é que a tua personalidade única irá ter um brilho próprio porque não será nada mais nada menos do que uma extensão de ti próprio/a. É isto que dará vida à tua performance. De outra forma, acabarás a recitar as tuas piadas... Uma forma de entertenimento não muito agradável de ver.

Ensaia a tua actuação.

Só tipos como o Jay Leno, o David Letterman e o Herman José têem direito a cartões com frases-chave, o que é óbviamente, injusto. Tu vais ter que memorizar as tuas piadas. Portanto, até teres direito ao teu próprio programa de tv vais ter que praticar, capice? A parte díficil não é decorar as piadas... É decorar a forma certa de as contar. A maior parte das piadas não são sobre palavras própriamente ditas mas sim, sobre a forma como são ditas, como são traduzidas em linguagem gestual e expressão facial e corporal. Portanto, pratica muito bem o teu material. Conta-as a quem quer que seja que as ouça e analisa as suas reacções para determinares o que ainda tem que ser mais trabalhado. Praticar as tuas piadas não é o mesmo que decorá-las. Se conheceres o teu material demasiado bem, vais estar apoiado/a numa estrutura demasiado sólida e rígida que não terá abertura e flexibilidade suficiente para permitir um ou outro improviso. Não faças isso, dá espaço ao improviso.

Trabalha bem o timing.
Lamento não te poder dizer muito acerca de timing mas não há nenhuma fórmula para controlar o timing. Um cómico brilhante em matéria de timing é o Ricardo de Araújo Pereira. É um talento inato e uma capacidade adquirida através da aprendizagem. Tenta ter uma ideia de qual será o melhor timing para determinada piada enquanto a praticas e tenta reúnir o maior número possível de crítica construtiva possível. Após isso, terás que confiar na crítica do teu público.


Sentes que ainda tens que praticar mais? Considera a hipótese de teres umas aulas de stand-up comedy. Se vives numa grande cidade, talvez haja quem se ofereça para te ensinar no comedy club mais próximo ou no grupo de teatro da tua zona residencial. Se não houver essa hipótese, procura numa escola de Artes de Palco que disponibilize um curso que inclua a a improvisação. Cursos de improvisação são especialmente bons para os casos em que sentes que o teu material não está a resultar lá muito bem... Uma vez que já te sintas bem preparado/a está na altura de actuar e apresentar o material perante uma audiência... Gulp.

PASSO 4: ENCONTRAR UM SÍTIO ONDE ACTUAR
O sítio mais óbvio e lógico para apresentar uma routine de stand-up comedy é um comedy club. Procura nas páginas amarelas um comedy club e liga para lá para saberes quando há open mic ou noites de amadores.
Além dos comedy clubs, há bares e discotecas que disponiblizam noites dedicadas à stand-up comedy e onde podes começar a praticar esta arte.
Deposi de fazeres rir as pessoas pela primeira vez torna-se viciante. Quando deres por ti já andas a vaguear pela cidade a farejar sítios onde possas actuar. Finalmente pergunta a outros cómicos wannabes onde podes começar a actuar. Se eles não forem super-competitivos talvez te digam a verdade e talvez te possam dar bons conselhos.
PASSO 5: 'BORA LÁ GANHAR UNS EURITOS
Depois de teres participado na noite de amadores umas quantas vezes, o próximo passo é determinar se tens potencial e o que é preciso para te tornares profissional. Se audiência se riu, é porque tens piada. Se eles não se riram então, 1) tens que trabalhar mais as tuas ideias 2) tens que trabalhar melhor a forma como dizes as piadas ou 3) és um caso perdido (há por aí algumas pessoas que não metem graça nenhuma mesmo sendo simpáticas, como por exemplo o Malato). A única maneira de descobrir é aperfeiçoar o material e o timing da próxima vez que subires ao palco. Alguns comediantes experientes tentam 'bomb' as suas actuações só para descobrirem o que não resulta. Não sugiro que faças isto, a menos que tenhas um ego desmedido e / ou sejas masoquista e gostas de ser motivo de chacota pública.

Mais do que a experiência algo que separa os amadores dos pros é que os pros são contratados e pagos. No começo podem não pagar muito, mas assim que começares a ganhar uns cobres jeitosos por teres piada, então saberás o que é ser um/a cómico/a com emprego. Depois podes dizer às pessoas que és um comediante que serve à mesa de vez em quando em vez de dizeres que és um empregado de mesa engraçado... ;)

4 Comments:

Blogger Dupla sertaneja de jamaicanos disse...

Aki tá um bom blog!Dpx xplikas komé k o enfiaste ali no meio!Um blog k descreve minuciosamente o mundo da stand-up!Xkecest d mencionar os multifacetados "Dupla Sertaneja de jamaicanos"!!!Brinkadeirinha!!Probabelemente apareceremos lá nos sabd pa dar duas de letra!Bxinhux

8:15 da manhã  
Anonymous Marques disse...

Tirou muitas dúvidas! Stand-up é muito legal. Falo do Brasil e tenho a intenção junto a amigos de começar um grupo de stand-up em Maceió, capital de Alagoas.

5:34 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

AMEEEEEI as dicas desse site !
Estou em busca de um sonho que envolve bastante todo esse mundo de stand up e teatro , e este site caiu como uma luva !

12:15 da manhã  
Blogger Murilo disse...

Ótimo, agora tenho q achar uma caderneta q caiba no meu bolso ;), Abraço.

2:56 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Demand Panic! At The Disco with Eventful! Discover and Create Events at Eventful Learn More about Eventful Demand

"It's an insane world and I'm proud to be a part of it. - Bill Hicks"