quinta-feira, março 24, 2005

To Make an Ass of Thee


Hee sees my knavery. This is to make an ass of thee,
to mock he, if I could; but Hee will not stir from this place,
for Hee dotes my thievery. Hee will walk up and down here,
and I will write, so thou shall read I am not afraid.
I fled from thee, from me to stay away Hee I did beseech
But though he canns't stay far from my robber'd speech
For he haunts me and persues me like hawk preying dove
To scorn me in evil mockery, Hee jests with hate and love
My stolen humours Hee does seek, foolish silly blog geek
Charmed-like by some fairy toys Hee stalks me unto here
Oh Triple Hecate I beseech Thee, break this evildoer spell
Make him disappear and fly Hee to thy Hell for me!
I've paid the Devil his dues, in several tones of hues
Too bad for Hee, thou he cann'st English read
My gentle ironies he must perceive to scorn of my poem
Hee will, for Master Shakespeare I just did steal!
***
One doubt wanders in my fair blonde forger head
Am I not wise? I should dispise but; Lo! I write to Hee instead
For scornful Hee I love not, and me Hee does hate
Why then his dotage of feelings do I duplicate?

16 Comments:

Blogger Sergy disse...

The Preacher - Arse face
COOOOOOLLl!!
E A MIDSUMMER NIGHT´S DREAM!

6:23 da tarde  
Blogger Dr. Hee disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

7:41 da tarde  
Blogger Inês Ramos disse...

Eu sei que sim. Estás certo em ambas mas é mais forte que eu o impulso de te responder «à letra».

7:43 da tarde  
Blogger Dr. Hee disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

7:48 da tarde  
Blogger Dr. Hee disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

7:55 da tarde  
Blogger Inês Ramos disse...

Tu é que começaste a hostilizar-me porque eu traduzi (talvez inusitadamente) duas ou três rotinas do Bill Hicks e de outros comediantes alterando-as e adptando-as à minha realidade e começaste a virar-te a mim acusando-me de plagiadora e deitando-me abaixo com palavras e insultos que desferiram golpes crueis como lâminas afiadas na já fraca auto-estima.

Tudo porquê? Nada vem do nada. Todos tiveram as suas inspirações.

Eu até te dedico «posts», (coisa que não fiz sequer ao meu melhor amigo).

Queres mais provas dos meus bons sentimentos em relação á tua pessoa?

7:56 da tarde  
Blogger Dr. Hee disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

8:47 da tarde  
Blogger Inês Ramos disse...

Querido Dr. Hee,

Em tempos escrevi como resposta a um comentário teu:

"...Vocês acreditam mais em mim que eu própria. Dão-me demasiada importância. Como se eu tivesse pretensões a ser algo mais mais que uma mera plagiadora..."

Tu em resposta escreveste e cito:

"...Fiquei a compreender melhor a tua postura e a maneira como encaras as lides bloguísticas. Vou continuar a visitar-te, claro. Original ou não, acho-te divertida… perdão, jocosa:)..."

E pareceu-me que tinhamos ficado por ali e bem.

Eu, como ladra que sou continuei a ladrar, perdão, a roubar e tu sempre a indignares-te com isso.

No «post» intitulado «To the One I Miss...» até o Woodwick se indignou por causa do «post» sobre o Coelho da Páscoa... E depois a conversa descambou por ali fora.

Pesa-te a minha falta de honestidade e falta de respeito que tenho pelos direitos de autor? Nunca disse que era honesta. Não sabes que razões (além de ser mais fácil produzir que criar) me levam a agir assim.

Depois escreveste:

"Tens um problema tremendo de auto-afirmação. Pára lá com as listas telefónicas. Um pouco de humildade não te ficava mal. E por falar em humildade, não te compares com gente que pertence a uma categoria da qual nunca farás parte, por uma razão muito simples: não és o Tarantino da comédia, quando muito és a Clara Pinto Correia da blogosfera. E, mais grave do que isso, é o facto de te faltar o discernimento necessário para compreenderes a diferença entre o que tu produzes e o que o Tarantino cria.
Eliot? Tem lá juízo!"

Ditador do meu destino afirmas que os meus mentores como o Quentin Tarantino e T.S. Eliot pertencem a categorias das quais eu nunca farei parte...

"O me, my star-crossed destiny has been traced by Hee!"

Humildade... Não sei que humildade mais queres tu se eu reconheço que não presto e que sou uma reles ladra. Descernimento eu tenho. Bem sei que não valho nada. Que sou um zero. Que não tenho originalidade, creatividade, imaginação...

Já disse ao Sergy que 90% de tudo que eu digo ou escrevo não me pertence. É tirado de livros, de filmes ou de coisas que ouvi algures e memorizei. (O pobre Sergy está enamorado por mim. Para ele tudo que eu digo ou faço é maravilhoso.)

Aqui começaram as minhas investidas hostis contra a tua pessoa irrascível e intolerante.

Ficas mais ofendido por eu roubar Bill Hicks do que se te roubasse a ti as piadas. Quais piadas? As piadas. Mas quais piadas? Essas piadas. Mas quais piadas? As piadas... Quais piadas?!)

No «post» "I Love Comics" a intenção foi mesmo dizer que apesar de seres original nos textos que escreves, piadas como aquelas que eu costumava ler no «Neurónio Ancrónico» raramente me faziam rir.

O vosso «blog» dá vontade de não ir lá mais. Então quando puseram aquela cacofonia como banda-sonora... Sem comentários.
(Aquele aforismo acerca do «naco» nem há palavras para dizer o quão mal-disposta me deixou.)

Bem sei o querias: Ler algo meu. Original. Mas eu de original não tenho nada, nem sequer a personalidade. Ah! E aposto que não tenho personalidade jurídica.

Nunca disse que vinhas do Inferno mas lá que me infernizas a vida com a tua revolta com os meus plágios, infernizas. (Mais valia vires do Inverno e "invernizavas-me" as unhas... LOL! :D)

"From Hell" é uma banda-desenhada (que em inglês se denomina «comics», embora eu prefira o termo «graphic novel») do Alan Moore sobre o Jack - O Estripador que foi adaptada ao cinema. Esse «post» é todo baseado num jogo de palavras, num trocadilho vá lá, entre «comics = banda-desenhada americana» e «comics = cómicos».

Neste último «post» fui mesmo velhaquinha. Porém, à boa maneira Shakespeareana algo me indaga no meu interior:

Se eu não sou original, sou uma fraude e roubo as piadas; tu detestas-me e eu revolto-te com a minha velhacaria...

Como é que tu, um cavalheiro que deve ter mais que fazer continuas a vir ao meu «blog» comentar?

Porque não me «apagas da tua memória» e continuas a vir aqui à espera de encontrares não sei bem o quê e como se isso não bastasse...

Algo me leva a nunca deixar-te sem resposta.

Até mesmo quando quem realmente me é próximo e caro como me é o Sergy me diz: Pá eu curto o «blog» deles... Mas tu... Ignora o Dr. Hee e caga no que ele escreve e te diz.

Porque não sigo eu os conselhos de um amigo verdadeiro?

1:19 da manhã  
Blogger Wodewick disse...

Cada um admite aquilo que quer e aos outros cabe avaliar se isso torna a acção "desculpável" ou não. Acho que o facto de eu admitir que matei alguém não vai fazer com que a minha imagem melhore aos olhos da sociedade. "Nunca disse que era honesta"? Isso é suposto legitimar o que fazes? Vamos trocar as coisas por miúdos: cada um gosta do que gosta e é muito bonito ter referências ou mesmo ídolos. Também é bonito homenagear quem se admira. O que falta nas tuas homenagens é um "da autoria de" ou mesmo umas simples aspas, mas isso é muito raro acontecer. Não gosto de estar a bater no ceguinho, até porque nem tenho sido eu a encarregar-me disso, mas parece que ainda não compreendeste onde queremos chegar. O que nós fazemos no Neurónio pode ser muito mau, mas é NOSSO, e quando não é, está devidamente identificado e referenciado. Na maior parte dos casos gosto do material que citas, só me faz é comichão que tu o passes como teu.

4:44 da manhã  
Blogger Dr. Hee disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

10:38 da manhã  
Blogger Inês Ramos disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

1:42 da tarde  
Blogger Inês Ramos disse...

Depois desta tua resposta, SIM é meu desejo que tu, o Woodwick e qualquer um dos teus amigos do «Neurónio Anacrónico» deixem de visitar o meu «blog». Vais fazê-lo?
Obedeces aos meus caprichos?

Por favor retirem-se TODOS e deixem aqui a «desbocada» em paz.

P.S. - Eu nunca quis fazer sexo contigo. Aquilo que leste foi um devaneio escrito já há muito tempo e não foi dirigido a ti mas sim a um homem imaginário...

Quanto a querer fazer sexo contigo. Tens cá uma lata!!! Não só não quero como não o faria sob nenhuma cirscunstância, só para teres uma ideia de quanto te repudio, nem que tu fosses o último homem na Terra e eu a última mulher e a salvação da humanidade dependedesse de tu e eu fazermos sexo. Nem assim eu fazia sexo contigo. Urgh!

1:53 da tarde  
Blogger Dr. Hee disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

1:59 da tarde  
Blogger Inês Ramos disse...

O que eu escrevo com sarcásmo e que eu realmente penso e sinto são coisas diferentes. Se tu tivesses dois dedos de testa sabias que eu estava a ser profundamente irónica e que uma mulher quando realmente quer um homem nunca utilizaria a palavra «foder» para sexo mas sim «fazer amor».

4:12 da tarde  
Blogger Inês Ramos disse...

Repudio-te como um verme peçonhento!!! Desaparece do meu «blog»!

4:14 da tarde  
Blogger Dr. Hee disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

7:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Demand Panic! At The Disco with Eventful! Discover and Create Events at Eventful Learn More about Eventful Demand

"It's an insane world and I'm proud to be a part of it. - Bill Hicks"